10/10/2006

3ª parte

ok, todas as madeiras pequenas cortadas e levadas para minha residência, fui comprar o material pesado do projeto. inicialmente foram 100 vasos de plástico pequenos e 20 um pouco mais largos (onde seriam colocadas duas mudas), além de um saco de cimento de 25 kg, um saco de pedra (brita) e dois de areia.


jardinagem!


pouca coisa viu...

porém essa etapa consistiu em elaborar um nome para o projeto bem como um logo, e após algumas tentativas e a definição do mesmo, fiz uma tela de silk screen na galeria do rock (no centro) para poder "silkar" o logo na parte de trás de cada prancha cortada. uma correria encontrar uma loja que preparasse a tela em menos de uma hora, já que trabalho a tarde e teria que voltar para casa...

comprei dois potes de tinta para tecido a base d'água (que por sinal não usei nem metade de um, porém o pote era barato e menos trabalhoso do que manipular uma tinta a base de solvente) e em pouco mais de uma hora já estavam todas as madeiras prontas e secando!


material


a tela, de 20 cm x 20 cm


tudo pronto para começar


colocando tinta


e lá vamos nós...


passando o rodo


sucesso!


e sujeira no final

após um tempo, recolhi todas as madeiras e passei a colar alguns objetos na frente para passar a imagem de "frutas", utilizando porcas, parafusos e grampos. passei um tempo procurando por algum ferro-velho mas só encontrava casas de desmanche de carros, e quando vi o preço dos objetos numa casa de construção vi que não valia a pena: cerca de três porcas por R$ 0,05, até mais barato! enfim, levei algumas centenas delas e uma cola.

com um prato descartável de isopor e a cola, foi um processo longo, solitário e grudento.


centenas delas!


cola no prato?


olha a sujeira


tudo colado!


detalhe

as peças são pequenas para não descolarem com facilidade (além do preço mais em conta) e ficaram um dia inteiro para secar.
o projeto:

despercepções faz parte do projeto de graduação interdisciplinar do curso de design gráfico no centro universitário belas artes de são paulo. a proposta de intervenção urbana visa um diálogo entre o tema e a proposta gráfica, onde o espaço urbano é o melhor suporte para a aplicação de um projeto de street art no campo de instalações urbanas.

o nome:

o nome despercepções faz uma alusão ao fato das pessoas pouco notarem a vegetação urbana ao seu redor, onde mesmo a preocupação do governo (?) em preservar o meio ambiente não é suficiente para que o cidadão perceba a sua presença e os benefícios que pode proporcionar.

os conceitos:

efêmero, interferente, subversivo, inusitado e invasivo. conceitos ligados aos projetos da street art por natureza, buscando intervir o meio urbano através da expressão artística das ruas, havendo uma relação direta entre ambos onde a arte urbana utiliza a cidade como suporte.

o autor:

linus oura tem 21 anos e atua como designer gráfico. reside na cidade de são paulo e simpatiza com o caos do ambiente urbano que o cerca, servindo de inspiração para seus projetos e viagens.
. contato

street art links:

. artbr
. base-v
. bomit
. stencil revolution
. street stickers
. streetsy
. urban installation
. wooster collective

. choque cultural
. fortes vilaça
. grafiteria

arquivos:

Outubro 2006 Novembro 2006